Governo informa que contribuinte poderá checar no dia seguinte ao envio do IR se caiu na malha fina

Posted by Livia Clozel

Malha fina: Sistema da Receita Federal permitirá, a partir deste ano, consulta de eventuais divergências para providenciar correções. Prazo de entrega da declaração é de 7 de março a 30 de abril.

Malha fina: O subsecretário de Arrecadação, Cadastros e Atendimento do Ministério da Economia, Frederico Faber, afirmou nesta sexta-feira (22) que, a partir deste ano, os contribuintes poderão verificar no dia seguinte ao envio da declaração do Imposto de Renda 2019, ano-base 2018, se estão com alguma pendência.

Se o contribuinte identificar alguma pendência e verificar que o erro foi dele, poderá enviar imediatamente uma correção retificadora da declaração.

O prazo de apresentação da declaração do Imposto de Renda 2019 começa no dia 7 de março, depois do carnaval, e se estende até o dia 30 de abril. A multa para o contribuinte que não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo será de, no mínimo, R$ 165,74. O valor máximo será correspondente a 20% do imposto devido.

De acordo com Faber, quem corre o risco de cair na malha fina são aqueles contribuintes que informam rendimentos e deduções diferentes daqueles encontrados no cruzamento de fontes pagadoras ou de fontes recebedoras.

Para evitar que a declaração fique pendente na malha fina do sistema da Receita, recomenda o subsecretário, é importante que o contribuinte analise o extrato da declaração no dia seguinte ao envio para o Fisco.

“Uma novidade do ponto de vista tecnológico é a de agilizar o processamento dessas declarações. Temos uma expectativa de, nas primeiras semanas já, liberar o processamento das declarações na própria noite da declaração. No dia seguinte, o contribuinte teria acesso ao extrato do processamento verificando pendências e pode trabalhar nas não-conformidades”, explicou o subsecretário do Ministério da Economia.

No entanto, caso seja apontada alguma pendência, é importante que o contribuinte aguarde para ver se o erro não foi da fonte pagadora ou recebedora informada na declaração.

O supervisor do Programa do Imposto de Renda, Joaquim Adir, recomenda que, se for identificada alguma inconformidade por pendências de alguma fonte pagadora, o contribuinte espere alguns dias porque pode ter havido um atraso na entrega do documento.

Novidades de 2019

Joaquim Adir destacou nesta sexta-feira que não há muitas novidades no programa de declaração do IR de 2019, apenas ajustes. Segundo ele, a maior novidade na hora de fazer a declaração será a exigência de preenchimento do CPF de dependentes e alimentandos residentes no país. No ano passado, a obrigatoriedade era apenas para dependentes com mais de 8 anos.

Além disso, o programa da Receita Federal deixou mais claro o local onde deve ser declarado o recebimento de pensão alimentícia. Dentro de “Rendimentos”, a coluna “Outros” passará a ser “Pensão Alimentícia e Outros”.

O programa também trará ainda, no bloco “Fichas da Declaração”, a opção de doação para o Fundo de Direitos da Criança e do Adolescente.

Deixe uma resposta

Color Skin

Header Style

Nav Mode

Layout

Wide
Boxed
WhatsApp chat